Vivemos, em Portugal, mais anos do que a média da UE, mas menos saudáveis

Esta é a conclusão de um estudo levado a efeito pelo Observatório das Desigualdades e que conclui que Portugal tem uma esperança de vida de 81,3 anos, acima da média europeia (80,9) e ao nível dos países mais ricos. Mas, quando comparamos os anos de vida saudável, estamos mais próximos dos países de Leste. A média nacional é de mais seis anos de boa saúde depois dos 65, enquanto a Suécia e a Dinamarca têm mais 12 (mulheres) e mais dez (homens).
Por outro lado, o relatório da Direção Geral da Saúde – A saúde dos Portugueses – Perspetiva 2105 – já vem alertar para a importância da alimentação na promoção da saúde, concluindo que na pirâmide dos fatores do risco que mais contribuem para o total de anos de vida saudável perdidos pela população portuguesa, os hábitos alimentares inadequados, assumem um “honroso” 1º lugar.
Estes dados alertam-nos para a responsabilidade que todos temos na educação e promoção para a saúde.
O IPN e as Clínicas Vital têm vindo a alertar para a necessidade de um especial empenho de todos para cuidar do que é mais importante na vida: a nossa saúde.  Por isso, disponibiliza aos seus destinatários e cidadãos, em geral, todas as ferramentas que possam auxiliar na busca deste objetivo tão nobre, como é o da prossecução da SAÚDE.
Através dos cursos de formação que ministra, do apoio à investigação científica na área da Medicina Natural e das especialidades clínicas que disponibiliza nas suas clínicas, o IPN tem contribuído e continuará a contribuir, para a construção de um futuro mais saudável para todos.

Consulte o Relatório da DGS – A Saúde dos Portugueses – Perspetiva 2105
https://www.dgs.pt/estatisticas-de-saude/estatisticas-de-saude/publicacoes/a-saude-dos-portugueses-perspetiva-2015.aspx