Protocolo de colaboração entre IPN e a Casa do Povo de Abrunheira

No passado dia 30 de Abril 2018, o IPN celebraram com a Casa do Povo de Abrunheira,  um protocolo de colaboração no sentido de dar mais apoio, na área da saúde, às populações que dela carecem.

A Casa do Povo de Abrunheira é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), sediada na União de Freguesias deAbrunheira, Verride e Vila Nova da Barca, concelho de Montemor-o-Velho. Presta apoio à população idosa residente nas instalações e à comunidade da região, dando resposta às necessidades de cada pessoa, através da prestação de cuidados ao nível do Serviço de Apoio Domiciliário 24 horas e institucionalização em Estrutura Residencial – Centro Sénior, Complexo Social Sénior e Residência Sénior Baixo Mondego. A instituição é detentora de uma equipa de técnicos de diversas especialidades, responsável pelo apoio permanente na área da saúde e na prevenção, avaliação, acompanhamento e supervisão de tudo o que garante o bem-estar físico e psíquico dos clientes. Recentemente a Casa do Povo de Abrunheira foi distinguida na área das demências, por uma equipa de especialistas do serviço de gerontopsiquiatria dos Hospitais da Universidade de Coimbra. Este reconhecimento atesta a forma como a instituição se dedica a esta causa e o que a leva à procura da melhoria, excelência e inovação.

Recentemente foi realizado um estudo que permitiu à Casa do Povo de Abrunheira aferir as reais necessidades da comunidade, observando-se que existe falta de respostas a nível nacional para utentes com demência (Doença de Alzheimer, Doença de Parkinson, Doença de Pick, Demência Vascular, a Doença de Creutzfeldt-Jacob, etc.) que causam o declínio progressivo ou crónico da função cognitiva, afetam amemória, pensamento, comportamento, linguagem, cálculo, aprendizagem e emoções.

O nível elevado de dependência de muitos idosos levou à idealização de um espaço inovador de Reabilitação Física e Neurossensorial, que alia múltiplas terapias.

Neste contexto, esta parceria visará potenciar o contributo do IPN para a promoção da melhoria da qualidade de vida dos utentes, prevenindo a perda rápida de funções, possibilitando a autonomia e bem-estar.